Caminhada do Autismo em Guará termina em Confraternização

Realizada na manhã de sábado, dia primeiro de abril, a segunda Caminhada de Conscientização do Autismo reuniu centenas de pais, mães, crianças e avós, alunos da rede de ensino e integrantes de projetos sociais.

Os participantes percorreram as ruas e avenidas do centro da cidade a fim de chamar a atenção dos moradores sobre a necessidade de inclusão social dos portadores de transtorno espectro autista e contra o preconceito.

Em clima de descontração e alegria, a caminhada terminou com um café da manhã na Praça da Matriz, onde todos se confraternizaram. Durante todo o trajeto, além do carro de som, os manifestantes foram acompanhados por uma viatura da Polícia Militar e ambulância do SUS.

O ponto de concentração se deu na pracinha em frente ao prédio da antiga Estação Ferroviária com a presença de muitas autoridades. Prestigiaram o evento, o prefeito, Vinicius Filgueira, o secretário de esportes, Alessandro Caetano, vereador, Rafael Moreira, supervisora de ensino e presidente do Fundo de Solidariedade, Regina Coelho, e diretora do Departamento, Val Santiago.

“Estou muito feliz, pois o evento ganhou mais forças esse ano, visto a quantidade de participantes tanto na caminhada no dia primeiro quanto no bate papo realizado no dia 30, na Escola Urbano”, declarou uma das organizadoras, Lidiane Moura.

“Graças ao poio da Prefeitura Municipal de Guará, ao patrocínio de algumas empresas locais e alguns amigos, fizemos uma ampla divulgação nas redes sociais, o que permitiu que mais pessoas se interessassem pelo tema”, declara.

O número de pessoas que estão no Transtorno Espectro Autista (TEA) tem aumentado consideravelmente, confirme a pesquisa divulgada no dia 23/03/2023 pelo CDC – Centers for Disease Control and Prevention, nos EUA, um em cada trinta e seis crianças tem autismo.

Infelizmente, não temos estimativas exclusivas do Brasil, porque aqui o diagnóstico é feito com mais dificuldades devido a precariedade de profissionais especializados, e descobrir que alguém tem autismo não é tão simples , visto que, não existe um único exame que detecte, a avaliação é multidisciplinar.

“Acredito que esse trabalho de conscientização da população permitirá fazermos outras ações para ajudar ainda mais os autistas e suas famílias, além de conquistar o respeito e a empatia da sociedade como um todo”, completou Lidiane.

Publicidade