Lions recebe governador do distrito LC-6

Glauber Gomes da Silva é recebido no clube, visita Abrigo de Idosos e elogia trabalho em prol da instituição

Na noite de quinta-feira, dia 14 de abril, o Lions Clube de Ituverava, um dos mais importantes do distrito LC-6 recebeu em noite festiva, o governador Glauber Gomes da Silva. O distrito abrande 49 cidades e 61 clubes, sempre atuando em prol de suas comunidades. O governador estava acompanhado por sua esposa Alessandra Zotarelli Gomes. Antes da reunião festiva durante a noite na sede do clube, o casal governador conheceu o Abrigo de Idosos Comendador Takayuki Maeda, que é mantido pelo Lions Clube de Ituverava. Ele também realizou uma reunião de trabalho com leões de Ituverava, visando o cumprimento de metas demandadas por Lions International.

 O governador pertence ao Lions Clube de Nhandeara, uma cidade de aproximadamente 12 mil habitantes, próximo à cidade de Votuporanga, que é onde também reside. Ele, no entanto, teve seu início no movimento leonístico no clube de Votuporanga. “Mas, o leão não vê distância para poder servir a comunidade”, comentou.

 Durante sua passagem, foi recebido no clube de Ituverava pelo casal presidente Alfredo Faldel de Almeida e domadora Jacqueline. Também concedeu entrevista ao Jornal O Progresso, quando falou sobre a visita, a atuação na governadoria, a superação da pandemia pelos clubes da região, declinou sua opinião sobre o Lions Clube de Ituverava e sua principal obra, que é o Abrigo e explicou sua trajetória no movimento leonístico até chegar ao cargo de governador.

No Abrigo de Idosos foi acompanhado pelo casal presidente do clube de Ituverava sendo recebido pelos leões presidente Norival Ribeiro, vice-presidente Cássio Cley de Oliveira e diretor José Dirceu Tardelli Falleiros, o governador do distrito no ano 91/92 membro do Lions de Ituverava Ézio Athayde de Souza, além de demais leões, domadoras e colaboradoras da entidade. Ele elogiou o trabalho do clube ituveravense em prol da instituição e seus moradores.

Além de membros do Lions a visita à Ituverava do governador do Lions foi prestigiada pelo vice-prefeito Marcos Antônio Sampaio “Grilo”, representando o prefeito Luiz Araújo e o Poder Executivo, o presidente da Câmara Municipal Marcos Advíncula Joazeiro “Markim do Sindicato”, representando o Poder Legislativo e Subtenente Eugênio Luiz de Paula representando a Polícia Militar do Estado de São Paulo e Companhia de Ituverava e a Loja Maçônica 16 de Julho de Ituverava, membros da imprensa local e diversos convidados, representantes de Lions Clubes da região.

Veja a matéria ao lado sobre a festiva comemoração dos 59 anos do Lions de Ituverava e sua atuação na comunidade.

PROGRESSO: Qual o motivo da visita do senhor hoje?

 Glauber: Anualmente nós temos um compromisso de visitar os clubes para incentivar, principalmente animar, levar um pouco de entusiasmo, porque esse ano é mais signifi cativo ainda pra essa visita, o Lions Internacional nos pede para que faça a sua visita obrigatoriamente. Mas esse ano ela tem um sentido diferente, e qual é o sentido? Nós viemos de uma pandemia, onde todos os clubes do distrito estiveram reclusos, pararam de fazer as reuniões e acabaram de certa forma desanimando um pouco. E isso aconteceu não só com o Lions, mas com todas as organizações sociais que acabam dependendo do principal, que é o serviço de servir ao próximo. Então esse ano, essa visita tem um caráter especial, que é trazer um pouco de otimismo aos clubes e a alegria de saber que o clube de Ituverava é muito presente na comunidade e continua servindo.

PROGRESSO: Como que foi estar na Governadoria e comandar todos esses clubes, sempre de forma não presencial?

Glauber: Olha, o maior desafio é você se fazer presente, sem estar presente. E isso a gente sabe como é difícil, a gente tem essa visão e quando assumimos a governadoria, nosso compromisso era trazer um pouco de motivação para esses leões. E nós fizemos isso através dos seguintes desafios: o desafio da cesta básica, o desafio de, de repente, estar plantando uma árvore que seja, mas o principal desafio, não parar! Continuar fazendo, nem se for pouco, mas fazer pela comunidade onde temos mais clubes. Então o desafio desse ano todo na Governadoria, foi reinventar a forma de servir e isso é o que dá mais prazer. Saber que hoje, onde a gente tem ido, a gente tem acompanhado que os clubes mesmo no momento mais difícil da pandemia, não parou de servir em momento nenhum.

 PROGRESSO: O senhor está aqui para uma reunião festiva, mas o senhor já esteve em uma reunião de trabalho. Quais lugares o senhor conheceu?

 Glauber: Nós tivemos uma reunião de trabalho com o pessoal do clube bem simples, a gente não está aqui para cobrar em nada, como eu disse, nós estamos aqui para incentivar. E fomos conhecer, eu não gosto de chamar de asilo, é um nome que me incomoda, eu prefi ro dizer que fui no Lar das Crianças. Por que a idade chega pra gente, mas, o que realmente defi ne a nossa idade é a forma como nós pensamos. Tivemos o prazer de ver uma instituição muito bem cuidada, muito bem tratada pelas pessoas que ali estão, não só as que trabalham lá mas todas as pessoas que fazem o uso daquela casa maravilhosa, se assim podemos chamar, porque ali você encontra uma casa. Na hora que a gente conversa com as pessoas que lá estão, vemos a alegria, o tratamento que é dispensado para elas e a atenção que elas recebem, e isso nos deixa muito feliz, principalmente, por saber que ali tem uma marca chamada Lions, e é isso que nós fazemos, o melhor para a comunidade.

 PROGRESSO: Qual a opinião do senhor sobre o Lions de Ituverava perante o distrito e o que representa esse clube para o LC-6?

Glauber: O Lions de Ituverava acaba sendo uma referência, alguns clubes do distrito possuem uma entidade, mas a força que Ituverava tem em cuidar da ‘Casa das Crianças’ é muito forte e isso é reconhecimento da comunidade, toda campanha que o Lions faz, a comunidade responde. A credibilidade é fantástica porque você não vai ajudar aquilo que você tem dúvida, mas quando você conhece e vê a forma como é tratado e com o respeito que é tratado cada pessoa que está ali dentro desta instituição e como o Lions é compromissado com isso, eu tenho absoluta certeza que a comunidade de Ituverava, cada vez que o Lions pede, ela simplesmente faz aquilo que o coração manda, responde e auxilia todos os pedidos.

PROGRESSO: O senhor falou da parte social filantrópica, mas, e em relação ao companheirismo que o senhor viu nessa casa?

 Glauber: Como eu disse, hoje somos 61 clubes no distrito, hoje nós temos em Ituverava 26 companheiros leões ativos que são leões de verdade, essa média de 26 leões está dentro daquilo que estamos deixando ainda “confortável”, porque nós temos alguns clubes no distrito, algumas regiões no distrito que sentiram um pouco mais. Somos cinco regiões e a região acaba variando um pouco pela própria economia, pelo reconhecimento do Lions na comunidade, todos são muito conhecidos, mas alguns se destacam e Ituverava com toda certeza é um deles.

PROGRESSO: Sobre a sua vida em Lions, quando o senhor começou a participar e exercer os cargos

Glauber: A minha vida em Lions é um desafio, quando eu era simplesmente um empresário, eu fui convidado a doar uma cadeira de rodas. O porteiro de onde eu tinha uma sala comercial me pediu uma cadeira de rodas. Eu disse que poderia comprar a cadeira e mandar a nota, “não Doutor, o senhor não está entendendo, é uma cadeira especial para um menino de 1,80m que sofreu um acidente de moto e a altura que ele fraturou a coluna, só consegue mexer os olhos e essa cadeira de rodas custa aproximadamente cinco mil reais”.

 Nessa oportunidade, nesse mesmo dia em 2010, eu recebi um convite para me tornar leão dentro da organização de Lions Internacional dentro da comunidade na época de Votuporanga. E o desafio que fiz foi o seguinte: “me ajudem a doar essa cadeira que eu vou ser o melhor leão que vocês podem ter”, e acho que cumpri minha promessa. E para não deixar fechar a história, 30 dias depois fomos entregar essa cadeira de rodas e conversando com a mãe do rapaz de aproximadamente 1,60m, uma senhora já de idade com câncer e o filho de 1,80m com mais de 100 kg em uma cama médica, perguntei: “como ele se comunica com a senhora?”, ela disse que era através dos olhos, piscando como “sim” ou “não”, e então acabaram estabelecendo uma conversa, porque passam o dia inteiro com ele. Perguntei a importância da cadeira especial se ele estava muito bem acomodado em sua cama e a reposta daquela senhora nunca saiu da minha memória e é o que me motiva cada vez mais a ser leão e ajudar as comunidades. Ela me disse que ele queria uma única coisa com aquela cadeira de rodas e que era um pedido que ele tinha: tomar sol. Quantas vezes você toma sol e não dá valor? Então acredito que eu tenha cumprido minha promessa de ser um leão da melhor forma que puder e tenho certeza que o meu compromisso toda vez que estremece, me lembro daquele pedido, “eu quero tomar sol”.

PROGRESSO: O senhor está acompanhado com alguém?

 Glauber: Estou com minha companheira Alessandra, um exemplo da mulher na vida do leonismo e na vida de uma pessoa, pensa em um ser humano parceiro. Somos casados há 27 anos, temos um filho de 20 anos que se chama Arthur que também está no movimento Lions, foi LEO fundador do LEO Clube de Nhandeara e hoje pela idade já se tornou um companheiro LEO Leão e esta é a nossa história. A Alessandra também possui uma participação muito grande nisso, porque “não adianta fazer as coisas sozinho se você não tem uma grande companheira do seu lado”. E a Alessandra nesse sentido me complementa, não só como mãe e esposa, mas principalmente como exemplo de leão.

PROGRESSO: Gostaria de acrescentar mais alguma coisa?

 Glauber: Não, apenas a alegria de estar aqui e ver a comunidade recebendo o Lions e deixando essa marca tão valorosa nela. Deixo sim um pedido, toda vez que você ouvir um pedido do Lions ou ver uma campanha do Lions, participe e ajude, porque você tem uma certeza: que será revertida para sua comunidade local.