Ituverava venceu Guará em consulta plebiscitária:Por 682 votos contra 455, o povo da zona em litígio disse “Não” à pretensão guaraense

Regozijo popular
Guará interpôs recurso


31/10/1948


Decorreu dentro de um ambiente de grande interesse e entusiasmo a consulta plebiscitária realizada domingo último neste município, na zona da “Grota”, para decidir se o território que compreende as propriedades agrícolas denominadas “Córrego Fundo”, “Grota”, “Retiro”, “Mata”, “Santa Leopoldina”, “Santa Terezinha” e “Taperão” continuariam como tal, isto é, pertencendo a Ituverava ou passaria ao vizinho município de Guará. O trabalho de propaganda absorveu os homens públicos dos dois municípios. O interesse geral foi extraordinário. Quatro mesas receptoras de votos foram instaladas na região.
A votação geral, sob a presidência do Sr. Dr. Hely Lopes Meirelles, juiz de direito da comarca, decorreu sob a mais completa ordem e interesse, não havendo nada de anormal a registrar a não ser a instalação de uma urna especial para recepção de votos de votantes que tiveram seus nomes impugnados. A apuração, efetuada dia 27, quarta-feira, no Fórum sob a presidência do Sr. Dr. Hely Lopes Meirelles, MM. Juiz de Direito desta comarca; Dr. Nuno Caldeira Belegarde, promotor público comissionado nesta comarca; e pelo serventuário Nelson Nogueira, que constituíram a Junta Apuradora, foi de interesse realmente grande.
Iniciada às 12h terminou às 17h quando então foi conhecido o resultado geral seguinte: Votos NÃO = 682. Votos SIM = 455. NULOS = 46. Votos em BRANCO = 13. Com esse resultado, o povo da zona em litígio disse NÃO à pretensão dos guaraenses, continuando, portanto, a pertencer ao município de Ituverava. Regozijo popular Conhecido o resultado como era natural, a população ituveravense se exultou de contentamento. Por mais de duas horas, rojões e mais rojões espocaram no ar. Foi feito o enterro simbólico da cédula “Sim”. Guará interpôs recurso Ao que nossa reportagem conseguiu apurar, os mentores políticos do vizinho município de Guará interpuseram recurso pedindo a anulação do pleito, por entenderem estar ele eivado de irregularidades.


Fonte: Jornal A Cidade de Ituverava.