Conseg destaca importância da Vizinhança Solidária

O Conseg (Conselho Comunitário de Segurança) de Ituverava promoveu mais uma reunião ordinária na terça-feira, 14 de setembro, para discutir questões relacionadas à segurança do município. O encontro aconteceu no Centro Cultural “Professor Cícero Barbosa Lima Júnior”, e contou com a participação do presidente do Conseg – Marcelo Mariano Moreira da Silva; dos membros Natos do Conselho, o delegado de Polícia Dr. Jucélio de Paula Silva Rego e subtenente da PM Eugênio Luiz de Paula; a diretora Social de Assuntos Comunitários Andréa Saad Cury Del Guerra; 1° secretário Dr. Mário Alves Pereira Neto; e 2º secretário Matheus Rodrigues Menezes Mariano; além da comunidade ituveravense.

O subtenente Eugênio aproveitou a oportunidade para explicar a importância do funcionamento da Vizinhança Solidária, além de também ter sido pauta da reunião a maneira como é relevante a vizinhança solidária e seus mecanismos. Ademais, foram ouvidas reivindicações da população relacionadas a questões de segurança nos seus bairros.

O delegado de Polícia de Ituverava Jucélio de Paula Silva Rego destacou, durante a reunião, que a finalidade dos encontros promovidos pelo Conseg é a de que a população possa ser ativa e estar por dentro das atividades.

“São reuniões importantes para que a população possa participar e ficar por dentro das atividades de segurança desenvolvidas no município. É um canal de ligação com órgãos de segurança do Estado, que traz informações, sugestões e opiniões para elaborar um planejamento melhor na área de segurança”, ressalta Dr. Jucélio.

“Após o retorno das reuniões presenciais do Conseg, constatamos um aumento considerável no número de ituveravenses que tem comparecido aos encontros, uma vez que o formato virtual estava mais restrito aos membros da Diretoria e natos do órgão”, informou.

Conseg

O Conselho Comunitário de Segurança surgiu com o objetivo de criar um espaço onde a comunidade possa se reunir e pensar estratégias de enfrentamento dos problemas de segurança, tranquilidade e insalubridade da comunidade, orientados pela filosofia de polícia comunitária.

Entre as atribuições do Conselho estão: integrar a comunidade com as autoridades policiais por meio de ações que resultem na melhoria da qualidade de vida da população; a comunidade propor às autoridades as definições de prioridade na Segurança Pública na sua região; articular a comunidade visando a prevenção e a solução de problemas ambientais e sociais e fazer com que a comunidade interaja com as unidades policiais tendo em vista a resolução de seus problemas.