Ituverava na Primeira Guerra (11-11-1917)

Ituverava em Reminiscência

   No número passado da edição do Jornal Cidade de Ituverava de 1917 demos ligeira notícia da grande e delirante manifestação patriótica, levada a efeito sábado atrasado, por iniciativa do povo guaraense. Será quase impossível descrever aos leitores o entusiasmo de nossos concidadãos pela notícia da entrada do Brasil na guerra ao lado da justa causa das nações aliadas, a queda irremediável do prussianismo, a implantação do Direito do Reino de Guilherme II.
   Tentaremos apenas dar uma ligeira ideia aos que não tiveram a inaudita ventura de compartilhar do atestado público e vibrante dos habitantes deste município, que dignamente demonstraram nas ruas desta cidade que longe dos grandes centros também no saber amar com delírio a Pátria, também se sabe protestar contra a quebra vergonhosa de tratados pelos chefes de nações, que não respeitando famílias, vão aos lares fazendo montões de cinzas e dos Tratados papeis inúteis.
   Os manifestantes do Guará e deste munícipio foram recebidos na gare da Mogiana pelos Srs. Cel. Irlandino Barbosa Sandoval, Bel. Fabio Barbosa Lima, José de Lima, Bráulio Vilar Horta e outros cujos nomes escaparam-nos.
   Em carro reservado vinham da vizinha e prospera vila do Guará, ostentando galhardamente as gloriosas bandeiras do Brasil e de seus aliados perto de 200 pessoas.
   Foram recebidos com palmas ao chegar o comboio. O povo desta cidade, representando todas as classes sociais e de nacionalidades diversas, estava em massa e o povo do Guará na entrada da Avenida General Glicério, carregando bandeiras do Brasil e Aliados.
   Assim que os guaraenses se aproximaram subiram aos ares dos foguetes, a banda “Santa Cecília” executou o nosso hino e ambas as massas prorromperam em vivas ao Brasil e a todas as nações aliadas era um delírio! Ao encontro dos grupos, falaram pelos guaraenses o Bel. Fabio Barboza e pelos ituveravenses o advogado Euclides Barbosa Lima, fazendo então uma só massa compacta à entusiástica.
   Os alunos do Grupo Escolar cantaram o hino à Bandeira sendo acompanhados pelos populares com verdadeiro delírio. Formou-se então o cortejo, tirado pelas bandeiras, desfilando no som de hinos e dos vivas até ao edifícios do Grupo Escolar, ali falando o Sr. Bel. Fabio Barboza pela Colônia Síria. Do Grupo foram a casa do Sr. Agente Consular Italiano, sendo neste momento executados os diversos hinos das nações aliadas e hasteadas bandeiras, falando pelo povo o Sr. Bel. Fabio Barboza.
   Seguindo a manifestação foi até a casa do Dr. Manoel Carlos, integro Juiz de Direito desta Comarca, S. Excia falou por alguns minutos, deixando transparecer em suas frases buriladas, o ardente desejo da vitória do Direito, a causa dos aliados e seu grande e inexcedível patriotismo. Sua Excia foi delirantemente aplaudido. Dali foram à Câmara Municipal, orando pela Edilidade o advogado Joaquim de Cerqueira Cezar sendo muitíssimo aplaudido. De uma janela do “ltuveravense Club”, orou o Dr. Macedo Forjaz em tom de patriotismo. Na Sociedade Italiana o Cap. Joaquim Cezar falou pela Colônia agradecendo em eloquente e forte discurso pelo povo o Bel. Fabio Barboza Lima.
   Na Sociedade Italiana falou também o advogado Euclides Barbosa Lima sendo constantemente interrompido pelos aplausos.
   Seguiram os manifestantes para a casa do Cel. Irlandino Barbosa Sandoval, falando por eles, com entusiasmo o advogado Joaquim Cezar, agradecendo o advogado Euclides Barbosa. Pela prefeitura foi mandado distribuir o manifesto do Dr. Presidente da República. No trem das 17 horas os guaraenses seguiram acompanhados pelos Srs. Cap. Joaquim Cezar, pela Prefeitura Antônio de Castilho, pela Câmara, Fabio Barboza Lima, João Raymundo de Macedo, João de Lima, pelo povo Alfredo Auzi, pelos sírios e várias outras pessoas.
   Em Guará
   Às 18 horas realizou-se uma sessão cívica no “Teatro Odeon” presidida pelo Bel. Fabio Barbosa Lima, falou o Sr. Adelino Gião, incitando o povo ao cumprimento do dever. Às 19 horas uma grande “marche au flambeau” percorreu as ruas da vila (Guará) sendo cumprimentados os Srs. Emiliano Alves, Jordão Ildefonso, Alexandre Figueiredo e Adelino Gião, falando diversos oradores entre os quais o advogado Joaquim Cezar, Fabio Barbosa Lima e Adelino Gião. Jornal A Cidade de Ituverava

Celso Barbosa Sandoval

Este nosso trabalho testemunhado e pesquisado tem objetivo relembrar, mostrar sobre nossa história, aspectos historiográficos e demográficos, um apanhado dos panoramas culturais, sociais, políticos e administrativos, meios de transporte, vias de comunicações e outros informes importantes, elaborados e pesquisados pelo escritor Celso Barbosa Sandoval.