Obras de escritor estão nas estantes de livros do Sô Dico

   As obras do escritor Guilherme Cavallari Bueno estão mais acessíveis ao público. Os livros do autor “Sô Dico” podem ser vistas, manuseadas e lidas através das estantes que foram montadas nas Bibliotecas do Centro Cultural Professor Cícero Barbosa Lima Júnior, da FE (Fundação Educacional de Ituverava) e na Escola do Curso Criar também em Ituverava.
   Inspiração
   “Sô Dico” conta que a inspiração para a criação das estantes surgiu com seu pai, o Engenheiro Civil e empresário Mauro Bernardes Bueno. “Estávamos no Ribeirão Shopping, em Ribeirão Preto, ele, minha mãe e eu, que decidi ir à Livraria da Travessa para comprar alguns livros”, recorda.
   “Lá meu pai se atentou a algumas estantes compactas, construídas em patamares giratórios, que permitem ao usuário um acesso fácil às obras escritas contidas, sendo bastantes práticas por não ocuparem muito espaço lateralmente”, explica.
   “Os referidos móveis contêm uma placa superior e de superfície relativamente ampla, chamando a atenção dos visitantes da livraria por estarem colocadas em um ponto alto (imediatamente acima da estante) e por possuírem uma pintura destoante e atrativa. Logo pensamos que podíamos encomendar uma peça como aquela para divulgar meus livros”, destacou.
   Distribuição
   Duas das estantes foram deixadas na Biblioteca Municipal “Jornalista Adhemar Cassiano” do Centro Cultural de Ituverava, para que a população em geral possa visitá-la.
   Também foi instalada outra na biblioteca da Fundação Educacional de Ituverava, no campus da FFCL e do colégio Connext, sendo dedicada aos alunos e aos profissionais da Fundação.
   Outra unidade ainda foi doada ao curso Criar Ituverava, direcionado ao aprendizado e ao aperfeiçoamento da redação e do domínio da gramática da língua portuguesa e da literatura do idioma.
   Quanto aos livros distribuídos, das 25 obras publicadas pelo autor, 23 foram entregues para serem abastecidos os móveis. Mais precisamente, cada um dos 23 livros em questão teve três exemplares dedicados a cada uma das estantes doadas. São os trabalhos que podem ser acessados nas peças (Confira no quadro abaixo as obras e suas datas de lançamento).
   “É fato que a exposição dos livros em todos os ambientes citados é organizada com a intenção de que seja feita a devolução das obras após a sua apreciação pelo leitor. Além disso, conforme novos trabalhos forem lançados e/ou impressos, haverá a complementação correspondente das estantes”, explica Guilherme.
   Futuros trabalhos
   Após ter publicado 25 livros, sendo o último lançado o romance infanto-juvenil “Identidades Ocultas”, entregue ao público em 13 de novembro de 2021, o autor possui redigidas suas 26ª e 27ª obras, sendo estas respectivamente um livro de poemas metafóricos e uma composição dos 200 primeiros capítulos do Folhetim do Palhaço Estrelinha, conhecido pelos leitores do escritor.
   “O livro do folhetim está atualmente em processo de montagem digital”, adianta. Dico também já tem se dedicado a seu 28º trabalho, um livro com poemas na língua espanhola, sendo um complemento a uma obra escrita em inglês e publicada em 2018 sob o título “Tulips of love and hate”. Finalmente, o autor ainda se prepara para iniciar seu 29º projeto, um livro de contos psicológicos até então pensados para crianças.
   O autor
   Sô Dico nasceu em 28 de abril de 1998, em Ribeirão Preto -SP, mas foi criado em Ituverava, neste mesmo estado, sendo filho de Joana Maria Cavallari Bueno e de Mauro Bernardes Bueno. Graduado em 2021 no curso de Engenharia Civil pela Universidade Federal de Uberlândia, na qual ingressou no início de 2016, atualmente o escritor segue seu percurso para se tornar um mestre em Engenharia pela mesma instituição.
   Agradecimentos
   “Agradeço, pelo apreço às minhas obras, ao secretário da cultura, Márcio Nogueira, bem como à equipe do Centro Cultural de Ituverava, não me esquecendo ainda da recepção dada pelo pessoal da biblioteca da Fundação Educacional, especialmente pela bibliotecária Vera Mariza Chaud de Paula, e tampouco ignorando o acolhimento a meus livros e a mim oferecido por Tatiane Barbosa, do Criar Ituverava”, reconhece o escritor.
   “Conste ainda minha demonstração de gratidão a meus pais, que muito me apoiaram em tantos projetos, não tendo sido diferente na distribuição das estantes. Afi rmo, pois, que com essa divulgação de meus trabalhos, tenho a esperança de que mais pessoas de nossa cidade e da região possam conhecê-lo”, conclui o jovem engenheiro civil e escritor ituveravense.